TRANSPLANTE DE CÓRNEA

Consulte Vídeos de Transplante de Córnea aqui.

Transplante de córnea ou queratoplastia penetrante, refere-se à substituição cirúrgica de uma parte da córnea de um paciente por outra de um olho dador.

Avanços na microcirurgia, materiais de sutura, meios de conservação e terapêutica pós-operatória, permitiram enormes progressos neste tipo de cirurgia. As indicações para a queratoplastia penetrante têm aumentado consideravelmente nos últimos anos. Actualmente a indicação mais frequente é a diminuição da acuidade visual, secundária à opacidade da córnea. Outras indicações incluem correcção da curvatura anormal da córnea (ex. ceratocone), tratamento de adelgaçamentos e perfurações, alívio da dor, remoção de focos infecciosos ou neoplásicos e fins cosméticos.

Mais recentemente surgiram novas técnicas de transplante corneano entre as quais a queratoplastia lamelar anterior profunda que, pelo facto de não seccionar totalmente a córnea, tem a vantagem de não ser uma cirurgia intraocular e, por isso, diminuir a taxa de infecções, reduzir o tempo de cicatrização e de recuperação, diminuir a taxa de rejeição e reduzir a quantidade de medicação no pós-operatório.

_ _

Caso Clínico (veja Vídeo aqui)

Paciente de 40 anos, saudável.
Leucoma central da córnea com neovascularização do olho esquerdo, após traumatismo aos 9 anos de idade. Acuidade visual melhor corrigida igual a 2/10.

Transplante de córnea do olho esquerdo realizado em Junho 2008 (diâmetro 7,00/7,25).

Após três meses, apresentava acuidade visual (sem correcção) do olho esquerdo = 4/10 e 7/10 com buraco estenopeico.

Fotografias tiradas três meses após o transplante.

Um ano e meio após o transplante a sutura foi removida e o astigmatismo aumentou.
Com o objectivo de corrigir o astigmatismo foram implantados dois segmentos de anel no enxerto (aneis de Ferrara® com 90 graus de arco e 0,15mm de espessura).


Fotografias tiradas um mês após o implante dos segmentos de anel na córnea dadora.

Seis meses após o implante dos segmentos de anel, a paciente tinha 9/10 corrigida com -1,50 -3,50×40°.
Após estudo, verificou-se que a paciente reunia todas as condições para implante de lente fáquica tórica.


Fotografias tiradas uma semana após o implante de lente fáquica tórica de fixação á íris (Artiflex® Tórica).

A paciente apresenta actualmente acuidade visual do olho esquerdo sem correcção igual a 10/10.
_ _

Exemplos de Transplante de Córnea

Cirurgia de Transplante de córnea e de Catarata com implante de lente intraocular – paciente com catarata e leucoma (opacidade) central da córnea.

Pormenor de Transplante em paciente que apresentava úlcera de córnea herpética.

 

Transplante Lamelar Anterior Profundo (DALK) em paciente com Ceratocone. Neste tipo de transplante a camada mais interna da córnea (membrana de Descemet e endotélio) do paciente é preservada.

Cirurgia de Transplante de córnea e de Catarata com implante de lente intraocular – paciente com catarata e Distrofia endotelial de Fuchs.

_ _

2 comentários

  1. Os meus cumprimentos.
    É possível realizar um transplante de córnea em casos de úlcera de córnea complicada como, por exemplo, quando há perfuração ocular. Quando a úlcera corneana é provocada por um agente que não responde ao tratamento médico e põe em causa a integridade da superfície ocular, há indicação para transplante. Quando surge uma opacidade central da córnea, após cicatrização da úlcera, pode haver lugar a transplante de córnea, caso haja acentuada diminuição da acuidade visual.

    Álvaro Sá

Responder

O seu endereço de email não será publicado.